Oposição grita, mas não quer a CPI do orçamento secreto

Deputados da oposição começaram a falar sobre a necessidade de uma CPI para investigar o que se chamou de orçamento secreto, mas o movimento é encenação. Entre os beneficiários dessa liberação de recursos sem deixar rastros estão parlamentares de vários partidos da oposição e até petistas.  

Um experiente deputado disse que a CPI do Orçamento Secreto já nasceu morta porque todos gritam e, depois, a deixarão morrer.

Reportagem de O Estado de S.Paulo publicada no domingo, 9 de maio, revelou que o governo criou no fim de 2020 um esquema de emendas ao orçamento, no valor de R$ 3 bilhões, para beneficiar parlamentares que apoiam o Palácio do Planalto em votações. A maioria das emendas foi usada para a compra de tratores e máquinas agrícolas para prefeituras.

O senador maranhense Weverton Rocha, líder do PDT no Senado Federal, aparece entre os contemplados com indicação de recursos do orçamento secreto de R$ 3 bilhões em emendas criado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem Partido) para aumentar sua base no Congresso.

Segundo o Estadão, que revelou o esquema nesse domingo (9), o “tratoraço”, como já está sendo chamado, inclui direcionamento de obras, como pavimentação asfáltica e instalação de poços artesianos, e compra de máquinas pesadas, como retroescavadeiras, caminhões pipa e tratores acima do preço de referência do governo federal.

Há outros deputados da oposição que também se beneficiaram do esquema, incluindo integrantes das bancadas do PDT e do PSB.

Deixe uma resposta