Covid-19: Governo do Estado é investigado por rompimento de contrato para leitos de UTI

O Ministério Público Estadual investiga o ato do Governo do Estado do Maranhão de interromper os convênios com hospitais privados para disponibilização de leitos de UTI em Imperatriz. De acordo com informações, o sistema de saúde não só de Imperatriz mas em todo o Estado, já está em iminente colapso, com leitos Unidade de Tratamento Intensivo operando em capacidade máxima ou próxima ao limite.

Por se tratar de uma cidade-polo, Imperatriz recebe pacientes do Pará, Tocantins e Maranhão, abrangendo mais de 40 municípios com alta demanda de leitos de UTI. O problema da falta de leito já é enfrentando há décadas, muito antes da pandemia do novo coronavírus, o que já foi inclusive objeto de ação civil pública.

Ainda de acordo com informações, o Ministério Público tomou conhecimento que o Governo do Estado encerrou o Contrato nº 214/2018/SES firmado com o Hospital da Unimed em Imperatriz para a disponibilização de leitos de UTI para tratamento de pacientes usuários do SUS. No dia 12 de fevereiro deste ano, representantes do Hospital Santa Mônica informaram sobre inadimplência por parte do governo no pagamento das despesas dos 7 leitos disponibilizados pelo nosocômio, via Convênio, o que tem comprometido as atividades do Hospital.

O Governo de Flávio Dino adotou comportamento semelhante com o Hospital UNIMED até forçar a extinção do convênio, de maneira a reduzir a disponibilização de leitos de UTI aos usuários do sistema SUS na região. Sendo assim, contrariando o interesse público, Flávio Dino vem reduzindo a quantidade de leitos oferecidos aos pacientes da rede pública, prejudicando o sistema de saúde e desvalorizando todos os esforços dedicados para a ampliação de leitos de UTI na região. O Ministério Público investiga o caso.

Deixe uma resposta