Presidente da Câmara de Açailândia, Ceará, e membros da Mesa Diretora podem ter mandatos cassados

O presidente da Câmara de Vereadores de Açailândia, Josibeliano Chagas Farias, O Ceará, está sendo investigado e pode responder por ato de improbidade administrativa, juntamente com os demais vereadores integrantes da Mesa Diretora da Câmara Municipal, após a realização de uma sessão solene no dia 18 de janeiro de 2021 em que deu posse aos vereadores suplentes.

De acordo com informações, o imbróglio começou ainda no dia 16 de dezembro de 2020, quando Josibeliano Chagas Farias, publicou a Resolução 02/2020, convocando uma sessão solene para a posse dos vereadores e do Prefeito de Açailândia (quadriênio 2021-2024), assim como, a eleição e posse dos membros da Mesa Diretora, para o dia 01 de janeiro de 2021, justificando o horário como medida de prevenção e combate à COVID-19.

Acontece que na data prevista para a eleição, nenhum dos integrantes da chapa encabeçada pelo vereador Ceará, que disputariam a Mesa Diretora, compareceram à sessão, que iniciou apenas com a presença dos apoiadores da chapa adversária, encabeçada pelo Vereador Feliberg. Na oportunidade, a chapa de Feliberg se declarou regularmente eleita.

Inconformado com a derrota, Ceará, acompanhado de seus apoiadores, desconsiderou a sessão anteriormente realizada, iniciou uma nova sessão solene com os mesmos objetivos, só que dessa vez, declarou como eleita a sua própria chapa. No dia 14 de janeiro, após o protocolo de Ação Judicial, a chapa encabeçada pelo Vereador Ceará por meio de decisão judicial conseguiu se manter vencedora, em caráter liminar.

Após a decisão, o Ministério Público tomou conhecimento que a chapa vencedora dificultou a posse dos vereadores da chapa de Feliberg, dentro do prazo legal, ao que tudo indica, se ocultando para não dar posse aos vereadores da chapa opositora. Para complicar a situação, a Promotoria de Justiça foi informada que o Vereador Ceará e demais membros da Mesa Diretora, se valendo do cargo, deram a posse para outros 07 vereadores suplentes.

De ante dos fatos, remete-se a indícios de que o vereador Ceará e os demais vereadores da Mesa Diretora obstruíram mediante a fraude, a posse de seus opositores políticos e irão responder por ato de improbidade administrativa.

Deixe uma resposta