Pacientes sofrem com espera de cirurgias no Socorrão II por falta de material

Famílias de pacientes internados no Hospital de Urgência e Emergência Dr. Clementino Moura (Socorrão II) reclamam da demora na fila para cirurgias. Segundo eles, falta material para os procedimentos. Enquanto isso, muitos idosos têm que aguardar em macas no corredor.

“Uma anemia muito alta, onde ela precisa tomar bolsa de sangue. Ela fez uma tomografia e está com a barriga muito inchada e o intestino dela não funciona bem”, conta Iracema Rodrigues, filha de uma das idosas internadas no Socorrão II.

Esses são alguns dos problemas enfrentados pela Dona Guilhermina, que aguarda cirurgia. Ela chegou ao hospital com a perna quebrada, com dores fortes que não a deixam dormir durante a noite.

Sofrimento também para a filha que enfrenta uma luta para conseguir a transferência da mãe para outro hospital o mais rápido possível, mas isso depende de relatórios médicos.

“Veio três clínicos, inclusive o clínico geral, olhou para a ficha da minha mãe, viu todo o processo que ela está passando, virou para mim e disse: ‘Um clínico a tarde vai passar e vai lhe dar o laudo médico’. Passou a médica, eu solicitei, ela olhou e disse que outro colega ia passar para dar esse relatório. Já passou hoje e não deu esse relatório”, explica Iracema Rodrigues.

A família já procurou a Defensoria Pública, pois falta medição para diminuir o sofrimento da idosa, que está internada há 25 dias. Na primeira semana estava no corredor e só depois da família insistir, ela foi levada para a enfermaria.

Outros idosos também estão a espera de uma cirurgia. Retiraram um deles do quarto para pintarem as paredes e, no corredor, ele aguarda uma cirurgia que ainda não tem previsão de ocorrer.

“Não tem material para fazer a cirurgia, falta platina para fazer a cirurgia na perna, já estou aqui há 42 dias e não tem material para a operação’’, relata um dos idosos.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) afirmou que o fornecimento de material para procedimentos cirúrgicos está normal no hospital. Sobre a Dona Guilhermina, a secretaria se limitou a dizer que a paciente se encontra regulada e aguardando procedimento e que a direção do Socorrão II está tentando a transferência dela para o hospital de traumatologia.

Informações do G1, MA

Deixe uma resposta