MP recomenda que prefeita de Arame, Jully Menezes, informe sobre a existência de funcionários fantasmas no município

O Ministério Público instaurou um Procedimento Administrativo para apurar a existência de possíveis acúmulos irregulares de cargos públicos e de funcionários fantasmas no município de Arame. A ação faz parte da Campanha Cidadão Consciente – Gestão Transparente.

A ação é desenvolvida pelo Grupo de Atuação Especializada da Probidade Administrativa – GAEPROAD e tem como objetivo estratégico promover ações voltadas à mobilização das gestões municipais, visando a efetivação de ações preventivas e repressivas voltadas ao combate de acúmulos ilegais de cargos e “funcionários fantasmas”, em todo o Estado.

O Ministério Público vai iniciar a coleta de dados dos servidores públicos do município de Arame e recomendou a prefeita Jully Menezes e o presidente da Câmara Municipal que encaminhe a relação dos servidores identificados com indicação de acúmulo ilegal e adote providências necessárias no prazo de 30 dias.

Deixe uma resposta