Bomba!!! Pesquisa realizada em Satubinha traz dados de outra cidade e confirma denuncia feita ao Blog de antecipação de Resultado

O Instituto de pesquisa BMO (R N BRITO LIMA) divulgou na data de hoje o resultado da sua pesquisa realizada na cidade de Satubinha/MA e confirmou uma investigação feita pelo Blog do Werbeth Saraiva.

É que existem elementos que apontam que os dados da pesquisa não são da cidade Satubinha, mas sim de outro município.

É que o plano amostral da pesquisa trás as seguintes informações que seriam do Censo 2010/ TSE ESTATÍSTICA DO ELEITORADO DO MUNICÍPIO DE SATUBINHA, com as seguintes informações: Sexo: Masculino 46,47%, Feminino 53,53%. Faixa Etária: De 16 a 24 anos 15,88%; De 25 a 34 anos 19,41%; De 35 a 44 anos 28,83%; De 45 a 59 anos 24,12%; Mais de 60 anos 11,76%. Grau de Instrução: Analfabeto/Lêr e escrever 28,24%; Ensino Fundamental Incompleto ou Completo 40,29%; Ensino Médio incompleto ou Completo 29,12%; Ensino Superior Incompleto ou Completo 2,35%. Renda: Até 01 Salário Mínimo (R$1045,00), 87,65%; De 02 a 03 salários mínimos, 12,06%; De 04 salários a mais 0,29%.

No entanto, basta uma pesquisa no site da Justiça Eleitoral para constatar que esses dados não são de Satubinha, pois o percentual por sexo e faixa etária do TSE em 2010 era de 52,340% para o sexo masculino e 47,660% para o sexo feminino, o que coloca em xeque o plano amostral do instituto.

A mesma informação se constata quanto ao índice de Analfabeto/Lêr e escrever era de 47,097% e não os 28,24% apontados na pesquisa.

Mais grave do que essa informação é o fato de que apesar de constar no site do TSE que a empresa BMO (R N BRITO LIMA), seria a contratante da pesquisa, desde a data de ontem, o Blog recebeu uma denúncia de que o filho do candidato a vice-prefeito da cidade de Satubinha, o ex-presidente da Câmara Márcio Rego, já antecipava o resultado que hoje se confirma.

Chegamos inclusive a indagar essa informação ao dono do instituto, conforme diálogo mantido pelo Blog.

O Blog apurou que já há uma denúncia contra a pesquisa na Justiça Eleitoral.

 

Deixe uma resposta