Prefeita de São João do Sóter, Joserlene Silva, é investigada por contratação de servidores em período proibido por lei

A prefeita de São João do Sóter, Joserlene Silva Bezerra de Araújo, está sendo investigada pelo Ministério Público após denúncia sobre uma suposta contratação de servidores no período vedado pela lei eleitoral. A imputação foi protocolada pela Sra. Jales de França Cunha que no seu relatório também acusa os secretários Maria do Carmo Cavalcante Lacerda e Edimilson Miranda Junior de participarem do esquema criminoso.

O MP decidiu em instaurar procedimento preparatório eleitoral a fim de averiguar o caso e a conduta proibida que foi praticada pelos gestores do município. Segundo a representante, foram contratados os servidores identificados como “David”, “Iara” e “José”, em período proibido pela lei eleitoral.

De acordo com o Ministério Público, é proibido qualquer forma de admissão de servidor público nos três meses que antecedem as eleições e até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade do pleito. O Ministério Público solicitou a prefeita Joserlene e aos outros investigados para que no prazo de 5 dias forneçam informações que esclareçam as acusações.

Cabe também à prefeita enviar cópias das folhas de pagamento da Secretária de Agricultura e de Saúde (SMS) dos meses de julho e agosto/2020 e documentos que provem a legalidade das contratações dos servidores, para função de office boy na Secretária de Agricultura, “David”, e no Posto de Saúde do povoado Bom Jardim do Centro, identificados como “Iara” e “José”.

Deixe uma resposta