Witzel afirma que interferência de Bolsonaro na PF está ‘oficializada’.

O governador do Rio, Wilson Witzel, fez um pronunciamento no Palácio Laranjeiras no início da tarde desta terça-feira (26), poucas horas após ser alvo de busca e apreensão numa investigação que apura desvios na Saúde, inclusive na contratação da empresa que deveria montar os hospitais de campanha.

Witzel atribuiu a operação à suposta interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal, denunciada pelo ex-ministro Sérgio Moro ao pedir demissão. A possível interferência é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal.

“A Polícia Federal deveria fazer o seu trabalho com a mesma celeridade que passou a fazer aqui no estado do Rio de Janeiro porque o presidente acredita que eu estou perseguindo a família dele e ele só tem essa alternativa de me perseguir politicamente”.

No fim do ano passado, Bolsonaro afirmou que o governador estava por trás da investigação contra o filho Flávio Bolsonaro, na apuração sobre o suposto esquema de rachadinha.

Deixe uma resposta