Advogada é estuprada em encontro do Tinder: ‘Meu ânus sangrava’ relata a mulher!

Ana Lucia Keunecke, tem 43 anos, é advogada de direitos sexuais e reprodutivos das mulheres e foi estuprada por um homem que conheceu no Tinder. “Fui violada três vezes na minha vida. Aos 8 anos fui abusada por um primo muito mais velho que eu. Na segunda vez, aos 23, fui violada por um amigo que me deu boleia e agora, aos 43, por um homem que conheci no Tinder”, conta a brasileira.
Ana Lucia foi casada durante 19 anos. Quando se separou, decidiu instalar o aplicativo de encontros e, depois de várias semanas falando com diferentes homens, conheceu uma pessoa com que se identificou e começou a conversar mais profundamente. Ao fim de alguns dias, os dois decidiram que estava na hora de se conhecerem pessoalmente.
Marcaram encontro na casa da advogada e estava tudo correndo bem. O casal teve relações sexuais e Ana assume que o agressor foi até “gentil”. No meio da noite, o homem levantou-se e foi fumar. Quando voltou para o quarto vinha com outra postura. “Ele voltou, agressivo, e, de uma maneira bem chula, falou que ia fazer sexo anal”, afirma Ana Lucia adiantando que o brasileiro disse logo que não usaria preservativo.
Depois da discussão, o homem segurou no pescoço da mulher, virou-a ao contrário e penetrou. “Pedi para ele parar várias vezes, mas foi em vão. A certo ponto foquei em um ponto fixo à espera dele acabar. Quando terminou, meu ânus estava sangrando”, confessa. Ana Lucia voltou ao quarto e o homem, que já estava vestido, pediu dinheiro para ir embora. Com medo, a advogada pagou o transporte para casa. A mulher se dirigiu ao hospital para ser examinada. O médico que a atendeu colocou em seu laudo que era apenas abuso, já que ela teria autorizado a entrada da pessoa. Revoltada e após muita insistência o médico então mudou para estupro mediante violência. Ela explica que um laudo constando apenas abuso teria consequências negativas em sua defesa na justiça.
A advogada diz que quando começou a compartilhar o seu caso, muitas mulheres a contactaram confessando que tinham passado pelo mesmo com homens que tinham conhecido no Tinder e no Happn.
(Fonte: Marie Claire)

Deixe uma resposta