VIXE MARIA! Presidente estabelece ponto facultativo no TJ em jogos do Brasil na Copa

No último dia 10, o presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, estabeleceu ponto facultativo no Judiciário estadual nos dias em que o Brasil jogar na Copa da Rússia.

Segundo a resolução editada por ele, o ponto facultativo ocorrerá nas datas em que os jogos forem realizados pela manhã. Já quando os jogos ocorrerem à tarde, os servidores do TJ trabalharão apenas das 8h ás 12h.

A determinação valerá para todas as etapas em que a seleção estiver na Copa. As horas não trabalhadas, conforme o documento, deverão ser compensadas em período oportuno.

Tribunal barra inquérito criminal contra deputado Rogério Cafeteira

O pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), negou na quarta-feira (11), pedido de autorização para instauração de inquérito policial contra o deputado estadual Rogério Rodrigues Lima, o Rogério Cafeteira (DEM). O pedido foi feito pela Delegacia do 9º Distrito Policial.

Após confusão, funcionários da escola tentando tranquilizar o homem, que acusou o deputado de agressão e racismo.

Cafeteira é acusado de supostas práticas dos crimes de lesão corporal e injúria racial após se envolver em uma briga de trânsito com Luís Antônio Santos Meireles Júnior. Ele agrediu a vítima, que estava no interior do seu carro veículo Fiesta, na porta da Escola Crescimento, em São Luís

O desembargador Guerreiro Júnior, relator do processo no Tribunal de Justiça, votou pela abertura do inquérito. Votaram, também, acompanhando o relator os desembargadores Bayma Araújo, Jorge Rachid, Paulo Velten, Lourival Serejo, Raimundo Melo e José Jorge. Se deus por impedido o desembargador Raimundo Barros.

Votaram contra abertura de inquérito os desembargadores Tayrone José, Jamil Gedeon, Cleonice, Nelma Sarney, Anildes Cruz, José Bernardo, Fróz Sobrinho, José Luiz de Almeida, Vicente de Paula, Kleber Costa, Ricardo Duailibe, Marcelino Everton, Ângela Salazar, João Santana, José de Ribamar Castro e Luiz Gonzada de Almeida.