Mulher é morta á facadas na cidade de Codó

Uma mulher identificada como Concilma Muniz de Sousa, de 38 anos, foi assassinada a golpes de faca pelo ex-namorado na noite deste domingo (10) em um bar na cidade de Codó, a 297 km de São Luís. Ela era técnica em enfermagem.

Segundo o delegado de Codó, Zilmar Santana, um homem identificado como Francisco Pereira da Silva, de 34 anos, é o principal suspeito. Ele estava em um bar localizado na Avenida Maranhão junto com Concilma no momento do crime. Eles estariam com problemas no relacionamento e já estavam separados.

“Houve uma briga. Eles estavam separados e acabaram brigando. Ainda não sabemos se ela estava lá e ele chegou depois ou se os dois tinham marcado um encontro no local”, afirmou.

De acordo com informações preliminares da Polícia Militar, Francisco teria desferido seis golpes de faca em Concilma, na região do tórax, dentro do bar. A vítima chegou a ser socorrida e levada ao Hospital Geral Municipal (HGM) , mas veio a óbito.

Ainda segundo a polícia, o assassino fugiu após o crime e ainda não foi localizado. A Delegacia de Codó segue em diligência e ouvindo testemunhas para tentar elucidar o caso e prender o criminoso.

Sargento da Polícia Militar mata ex-namorada no Maranhão

Um policial militar identificado como sargento Marcos Vinícius Gomes Costa, de 43 anos, matou sua ex-namorada Marcele Cardoso da Silva, de 26 anos, e logo em seguida tirou a própria vida. De acordo com as primeira informações policiais. Os corpos foram encontrados na manhã desta quinta-feira (7), em um quarto na casa da mãe do sargento, no bairro Cohab, em São Luís. A suspeita é que o crime tenha acontecido na noite dessa quarta-feira (6).

Marcele da Silva tinha um filho de três anos de outro relacionamento e era servidora do Detran. O policial também tinha um filho de quatro anos de outro relacionamento e era lotado no Comando Geral da Polícia Militar.

Segundo informações de parentes de Marcos Vinícius, ele teria ligado na noite de quarta pra ex-mulher (com quem tem um filho) dizendo que ia se matar.

Pelas informações da família de Marcele, o sargento estava tentando a reconciliação com ela, insistindo em contatos telefônicos. Horas antes de ser morta, a família disse que ela entrou em contato falando que iria na residência do ex-namorado a pedidos dele. Preocupados com a falta de contato desde então, os pais da vítima foram até a casa onde o sargento estava morando e encontrando o imóvel fechado, ligaram para uma irmã de Marcos Vinícius para que eles pudessem entrar na casa e foi quando viram os corpos em um dos quartos.

A investigação segue ao comando da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SHPP).

Luciano Genésio fala pela primeira vez sobre o caso de agressão contra mulher envolvendo seu irmão Lúcio André Genésio.

 

O prefeito de Pinheiro Luciano Genésio ainda não tinha se pronunciando sobre o recente caso que envolveu seu irmão Lúcio André e a advogada Ludmila, relembre aqui  e aqui, mais em uma entrevista para um canal de TV local de Pinheiro Luciano Genésio resolveu falar sobre  o caso veja a fala do prefeito;
Em sua fala Luciano expôs que o ano termina de forma muito difícil para ele e para sua família, que infelizmente, a politicagem tenta condena-lo e representa-lo na forma de seu irmão: “…estamos todos sofrendo muito com essa situação, eu mesmo não consigo dormir direito, são problemas familiares, é a crise que acabamos de enfrentar na prefeitura; graças a Deus eu tenho conseguido sabedoria para separar meu trabalho como gestor dos problemas familiares que temos enfrentado…”
Luciano ainda afirmou que deseja apenas que a lei seja cumprida, que seu irmão não seja julgado antecipadamente e nem condenado de forma incomum apenas por ser irmão do prefeito: “…ele errou, que responda por seu erro de acordo com a lei e não por ser irmão do prefeito de Pinheiro”. Finalizou Luciano.

Realmente o prefeito não pode responder pelo irmão…