Indalécio do PT confirma apoio a Roseana Sarney

Uma grande carreata em Governador Nunes Freire e um comício que reuniu uma multidão em Maracaçumé mostraram a força política da candidata ao governo do Maranhão, Roseana Sarney, no início da noite desta quarta-feira (29). Lideranças políticas e milhares de pessoas foram às ruas dos dois municípios demonstrar apoio à candidatura da ex-governadora.

O prefeito Indalécio Vieira (PT) coordenou uma grande carreata para receber Roseana e declarar apoio à sua candidatura, em Governador Nunes Freire. Com ele, o presidente da Câmara de Vereadores, Fernando do PT, relatou a ineficiência do atual governo na região, e a perseguição aos gestores municipais que não são aliados do atual governador.

“A MA 106, que liga Turilândia a Santa Helena, praticamente não existe mais. As escolas de ensino médio que foram entregues em sua gestão não têm mais o mesmo potencial. Os mais carentes? Esses voltaram para a era da lamparina sem o Viva Luz. As mães não contam mais com o programa do leite. É um retrocesso. Estamos regredindo com essa gestão que está aí”, afirmou o prefeito de Governador Nunes Freire.

Roseana agradeceu o carinho e a manifestação de apoio da população e pediu o voto na experiência e na volta a dignidade política ao Maranhão. “Não podemos mais aceitar a desesperança e o medo nos olhos da população. Vamos voltar a fazer com que o Maranhão cresça e o seu povo volte a ter esperança e qualidade de vida. Chega de mentiras”, enfatizou ela.

O prefeito de Maracaçumé, Chico Velho, afirmou que o município e toda a Região do Alto Turi foram deixados de lado pelo atual governo, nos últimos quatro anos. “Por isso a cidade vota em Roseana, para que ela retorne com os programas sociais para ajudar os mais carentes, e para assistir a todo o povo do Maranhão”, declarou.

O comício na Avenida Dayse de Sousa reuniu grande número de simpatizantes e eleitores de Roseana, que foram ao local para conversar e tirar fotos com ela, e agradecer por suas realizações no município. Em seu governo, a cidade recebeu Unidade Básica de Saúde, material permanente para unidades de saúde, pavimentação MA-306 (Maracaçumé-Campo Novo), mais de 25 mil contas pagas pelo programa Viva Luz, construção de praça e escolas, e aquisição de ônibus escolar.

“Meu voto é de Roseana para que ela volte com o Programa Primeiro Emprego, que ajudou centenas de jovens. Chega de perseguição e desemprego”, enfatizou a estudante Brena Correa, 21 anos.

Na comitiva de Roseana estavam o candidato ao Senado Edison Lobão, os candidatos a deputados João Marcelo, Zezé Leite, Arnaldo Melo e inúmeros vereadores.

“Roseana vai voltar a trazer recursos para o nosso estado, para os nossos municípios, que não aguentam mais tanta perseguição. Com Roseana os mais necessitados voltarão a ter os programas sociais”, afirmou Adriano Sarney, candidato a deputado estadual.

Desembargador Luiz Gonzaga foi justo ao decidir pela recondução de Indalécio, prefeito legítimo, ao comando do Executivo.

Desembargador Luiz Gonzaga foi justo ao decidir pela recondução de Indalécio, prefeito legítimo, ao comando do Executivo.

A justiça aconteceu e trouxe alívio aos cidadãos nunesfreirenses, que de forma alguma podem aguentar mais uma troca repentina de prefeito. O desembargador Luiz Gonzaga Almeida Filho foi sábio e justo ao decidir, no dia 30 de julho, reconsiderar sua decisão inicial e, assim, reconduzir o prefeito legítimo, eleito com 7.995 votos (sete mil, novecentos e noventa e cinco votos), Indalécio Wanderlei Vieira Fonseca, ao seu cargo.

Além de aliviar e trazer alento para os cidadãos nunesfreirenses, que, repito, não aguentavam mais a mudança no Executivo, Luiz Gonzaga conseguiu fazer com que a supremacia popular fosse respeitada. Vale ressaltar, que em decisão de outrora o mesmo desembargador, decidiu que Indalécio fosse afastado para aguardar a perícia médica fora do cargo, esta marcada para uma data ‘X’ que logo depois foi adiada, não por decisão de Indalécio, que como todos sabem e percebem está bem e disposto, mas pode decisão da justiça.

Pronto para ser avaliado por qualquer junta médica, o prefeito eleito pelo povo só ficou sabendo do adiamento da perícia quando já se deslocava para fazê-la. Mesmo assim se prontificou a respeitar a justiça, como sempre fez ao longo da sua vida.

Senhores, o ato de reconsiderar sua decisão inicial, além de corroborar o que já havia decidido o então juiz da Comarca Aurimar de Andrade Arrais Sobrinho, quando também decidiu que o vice-prefeito retornasse para as suas funções de vice e que Indalécio aguardasse a perícia no cargo de prefeito, também reforçou que o voto, a decisão popular e a democracia ainda possuem valor nesse país tão carente de decisões justas.

E não reconsiderou à toa, o fez com base em laudos médicos, que também confirmaram as plenas condições cognitivas de Indalécio para a função que foi eleito, repito, por cerca de 7.995 nunesfreirenses.

Sem dúvidas, após uma decisão como esta, temos que dizer e reforçar a máxima de que a justiça tarda, mas não falha. Afinal de contas, quando se age pautado no certo não há possibilidade para as falhas, só nos resta parabenizar a Justiça brasileira por trazer paz aos cidadãos nunesfreirenses.

Agora, não se pode deixar de citar o fato do vice-prefeito, que não era parte interessada no processo, atualmente está recorrendo como parte interessada, querendo assumir o cargo de prefeito interino, mesmo com médicos afirmando que Indalécio está bem e apto. Como assim? Não são os médicos que devem dizer se o paciente está bom? Não são os eleitores que decidem na eleição quem deve ser prefeito da cidade?

Ora meus caros leitores as respostas para as duas perguntas já foram apresentadas.  Por laudos os médicos confirmaram a aptidão do Gago e por votos os eleitores confirmaram sua vontade. Há uma contradição no que disse e no que está fazendo atualmente o vice-prefeito, que outrora disse não ser médico para dizer se Gago poderia assumir ou não e agora não quer aceitar a decisão médica, tampouco a decisão do desembargador.

A população não consegue entender que vontade é essa de ocupar a cadeira de prefeito, não seria mais fácil e mais justo disputar as eleições em 2020?

Fernando Nascimento