Empresa de amiga da primeira-dama de Codó fatura milhões no município

Blog do Neto Ferreira

Desde quando o prefeito de Codó, Francisco Nagib, foi eleito, a primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social de Codó, Agnes Oliveira, vem favorecendo os amigos mais próximos.

Entre 2017 a 2019, a J.F. de Oliveira e CIA Ltda, mais conhecida como Mundo Fit, venceu sucessivas licitações que somaram R$ 10,7 milhões. A empresa, que fica localizada em Codó, é de propriedade da Nágila Mayane Fontes de Oliveira Queiroga, amiga íntima da primeira-dama codoense.

Segundo consta nas resenhas dos contratos, a Mundo Fit foi contratada para fornecer todos os tipos de lances pra a Assistência Social.

Além de manter acordos contratuais milionários com a Administração Muicipal, a empresária também é servidora da Secretaria de Desenvolvimento Social, atuando como nutricionista.

A relação próxima entre Nágila e Agnes pode ser vista nas redes sociais de ambas. Por lá, as duas amigas postaram fotos em momentos de lazer e de trabalho. O prefeito Francisco Nagib faz questão de expor a amizade de sua família com a empresária.

Ocultação

Na tentativa de oculta a verdadeira proprietária, recentemente, o quadro societário da empresa sofreu mudanças deliberadamente. Figurava como sócias Nágila Mayane Fontes de Oliveira Queiroga e Jesuíta Fontes de Oliveira, no entanto o quadro mudou. Entrou para a sociedade Gerson Rocha Fontes, ficando ele e Jesuíta Fontes de Oliveira, que é mãe da nutricionista. Além disso, a razão social também mudou. Passou de N.M.F de O. Queiroga e CIA para J.F. de Oliveira e Cia Ltda.

Mas a amiga íntima da primeira-dama continua no comando da Mundo Fit.

PF desmonta esquema que desviou R$ 92 milhões da Prefeitura de Jenipapo dos Vieiras

Neto Ferreira

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (29), a operação HYBRIS com a finalidade de reprimir crimes de responsabilidade, lavagem de dinheiro e organização criminosa praticados pelos ex-gestores da prefeitura de Jenipapo dos Vieiras no período de 2005 a 2013.

As investigações foram iniciadas no ano de 2012 e culminaram com a identificação de um esquema criminoso que se apropriou de recursos públicos por meio de fraude em licitações e sua posterior ocultação com a compra de vasta quantidade de imóveis no interior do Estado do Maranhão, distribuindo-os entre familiares do ex-prefeito do município.

O grupo criminoso atuava desde 2005 dissimulando os desvios de verbas públicas destinadas aos fundos de participação municipal, saúde e educação por meio da contratação de empresas familiares que operacionalizavam as ações, que aconteciam principalmente com o saque em espécie de milhões de reais.

O prejuízo aos cofres públicos, segundo levantamentos preliminares, gira em torno de R$ 92 milhões de reais. Vale lembrar que o município de Jenipapo dos Vieiras apresentou-se como a terceira cidade com menor índice de desenvolvimento humano – IDHM do Maranhão no ano 2010.

A Polícia Federal cumpriu 11 mandados judiciais de busca e apreensão nas cidades de São Luis, Jenipapo dos Vieiras e Cedral e, ainda, foi determinado o sequestro judicial de 62 imóveis que estão em nome dos investigados.

Na ação foram apreendidos 4 veículos de modelo Hilux e 2 motocicletas.

O nome Hybris da operação vem de Aristóteles, que definia a humilhação de pessoas pelo mero descaso, independente de causa ou qualquer coisa que tenha acontecido ou que elas tenham feito. Hybris não é o acerto de contas por erros cometidos – isso é vingança. Hybris é o descaso que alguém tem pelos outros, ou pelos deuses, quando acha que pode fazer tudo que quiser

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de responsabilidade, lavagem de dinheiro e associação criminosa, cujas penas máximas podem alcançar 22 anos de prisão.

VEM BOMBA! Prefeita de município do Alto Turi é denunciada por esquema de funcionários fantasmas

A Procuradoria de Justiça do estado do Maranhão recebeu uma representação criminal contra uma prefeita de um dos municípios da região do Alto Turi. O caso está sob sigilo e por conta desta razão o blog ainda não estará revelando o nome da gestora. 

 Segundo a denúncia; que ao se ter acesso às informações constantes dos extratos do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física Exercício de 2018, ano calendário 2017, foi possível constatar a existência de pessoas que estão recebendo sem trabalhar, o que comumente é chamado de “funcionário fantasma”, conforme a denúncia demonstrou e provou com nomes de varias pessoas  que moram em outros estados inclusive e que chegaram a receber quase R$ 50 mil, sem ao menos morar na cidade. 

Segundo a denúncia formulada na Procuradoria de Justiça do Estado,  em vista fatos narrados é possível imputar à Prefeita, e aos citados, as práticas dos crimes de organização criminosa (artigos 2°, caput, e § 4º, inciso II, da Lei n° 12.850/2013) e peculato (artigo 312 do Código Penal), sem prejuízo de outras imputações que se julguem presentes.

A “Máfia dos fantasmas” funcionava em um dos mais pobres e pequenos municípios do estado do Maranhão. O blog deve revelar na próxima reportagem a lista de todos os beneficiados no “esquema” que desviou uma vasta quantia de dinheiro público do município. 

MP quer barrar esquema de quase 15 milhões entre Ruivo e cooperativa em Cantanhede

A Promotoria de Justiça da Comarca de Cantanhede ingressou, no último dia 8, com uma ação civil pública requerendo, em regime de urgência, a suspensão do contrato firmado entre a prefeitura do município e a Diversa Cooperativa de Trabalho e Serviços Múltiplos para fornecimento de funcionários para a administração municipal, burlando a exigência de concurso público.

Ao valor global de R$ 14.724.279,60 – pagos em R$ 1.227.023,30 por mês -, o contrato foi fechado pela gestão do prefeito Marco Antonio Rodrigues de Sousa, o Ruivo (PSD), e tem irregularidades desde o processo licitatório. De acordo com o Ministério Público do Maranhão, o processo foi iniciado em 14 de fevereiro do ano passado, mas a autorização para a sua realização é datada de dez dias depois, “o que indica que o processo licitatório foi objeto de montagem, reforçado pelo contexto que a Cooperativa requerida foi a única licitante”, observa o promotor de justiça Tiago Carvalho Rohrr.

Também não há documento delegando ao secretário de Administração e Finanças a autorização para a realização do processo licitatório e nem empenho para liquidação e pagamento do contrato. A natureza do serviço, em que há vínculo de emprego e subordinação dos profissionais com a cooperativa, já seria suficiente para impedir a contratação da Diversa Cooperativa.

Além do Ministério Público do Maranhão, o Ministério Público do Trabalho (MPT) também ingressou com ação e conseguiu liminar determinando à Diversa Cooperativa que se abstenha de intermediar ou fornecer mão de obra a terceiros em desobediência à Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e aos princípios e lei que regem o cooperativismo.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão também acolheu medida cautelar para determinar que a gestão Ruivo suspenda quaisquer pagamentos firmados com a Diversa Cooperativa e se abstenha de realizar novas contratações com a entidade. O TCE/MA reconheceu o caráter inidôneo da cooperativa, a ilegalidade da contratação, os indícios de irregularidades na licitação e a lesividade do contrato.

Além da liminar para a suspensão do contrato, o Ministério Público do Maranhão requer, ao final do processo, que a Justiça determine a rescisão definitiva do contrato entre a prefeitura de Cantanhede e a Diversa Cooperativa de Trabalho e Serviços Múltiplos.

Empresa de publicidade vem faturando milhões em contratos com prefeituras no Maranhão.

Levantamento feito pelo Blog do Werbeth Saraiva apurou que a empresa Texto e Arte Propaganda Ltda, a Sofia Comunicação, vem faturando milhões em prefeituras pelo interior do estado, em Timon por exemplo já foram mais de 15 milhões em contratos. A agência de propriedade de Zeca Pinheiro, ex-secretário de Comunicação do governo Jackson Lago, abocanhou R$ 5.000.000,00 milhões em 2013, em  2014, com mais R$ 5.000.000,00 milhões. E em um segundo aditivo com a empresa, por mais um ano, no valor de R$ 5.000.000,00 milhões. No contrato de serviço, a Sofia Comunicação atenderia algumas secretarias do município. A soma de todos os contratos chegam a casa dos 15 milhões de reais.

Balsas

Em Balsas, município administrado pelo prefeito Erik Augusto Costa e Silva (PDT) a empresa de Zeca Pinheiro também  faturou contrato milionário para prestação de serviços
de publicidade, o valor do contrato foi de R$ 1.380.816,72 (um milhão trezentos e oitenta mil oitocentos e dezesseis
reais e setenta e dois centavos). Além dos municípios citados a Sofia comunicação vem a anos “abocanhando” contratos em câmaras de vereadores, inclusive obtendo 1,4 milhões em contratos com a Câmara de São Luis no ano de 2016, os contratos suspeitos estão em vários municípios do interior do estado do Maranhão com a mesma empresa.

Contratos;

Primeiro contrato (2013)

Primeiro aditivo (2014)

Segundo aditivo (2015)

Contrato com a Sofia Comunicação

Blog do Werbeth Saraiva vem realizando várias pesquisas sobre a empresa, que, segundo já foi apurado, é suspeita de participar de diversos esquemas de corrupção envolvendo Câmaras Municipais  e prefeituras em alguns municípios maranhenses. É AGUARDAR…