Gestão Edivaldo Holanda contribuí para mortes de pessoas apinhadas em corredores de hospitais da capital

 

A Prefeitura de São Luís já recebeu do Ministério da Saúde em 4 meses deste ano mais de R$ 130 milhões de repasses federais para serem aplicados na rede pública pelo Fundo Municipal de Saúde (reveja).

Com tanto recurso já repassado para o setor da saúde o caos continua instalado nos hospitais municipais. E os problemas recorrentes nas unidades parecem distante de ter fim.

A falta de ação e de responsabilidade da gestão Edivaldo Júnior (PDT) na saúde de São Luís está levando varias famílias a perderem de forma prematura seus entes queridos, a falta de cuidados com as pessoas que estão amontoadas nos corredores dos hospitais sem nem uma forma de higiene, as vezes sem tomar um soro, aumenta em 100% o risco de morte, por doenças de poucos riscos, uma gripe já gera uma infecção enorme, pelo ambiente  onde a pessoa está sendo tratado,o descaso na saúde publica da capital São Luís já passa de criminoso, e chega a ser desumano, para uma pessoas que se diz fiel a preceitos bíblicos e cristãos.

A venda que cobre o olhar do Ministério Público e das demais esferas judiciárias para a imoralidade que está acometida a saúde da capital é de impressionar, não se vê uma ação que cobre da prefeitura na pessoa do “poderoso” Edivaldo Holanda soluções para resolver a maldade que estão fazendo com pessoas nas filas destes hospitais.

RELATO 

“Não tem pano, não tem lençol, é uma porcaria isso aqui. Ontem a comida chegou às 14h. Isso é um descaso. A água é nojenta. Tudo aqui é nojento. A menina aí está jogada”, reclamou um dos pacientes.

“Vimos pacientes em condições péssimas, em macas, no chão muitas vezes. Há muito tempo que estamos reivindicando por melhores condições para garantir um pouco de dignidade para os pacientes”

Crianças também são vitimas 

Um misto de maldade, imoralidade, falta de coração e principalmente falta de DEUS!

 

Polícia Federal faz operação contra o tráfico de drogas no TO e em mais quatro estados

Segundo a PF, grupo criminoso que atuava no Tocantins comprava a droga de um fornecedor de Mato Grosso. São cumpridos 47 mandados, sendo 26 de prisão preventiva.

A Polícia Federal realiza a operação Thema nesta sexta-feira (23) para desarticular uma quadrilha suspeita de tráfico de drogas. Os mandados são cumpridos no Tocantins e em mais quatro estados, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso e Pará.

Ao todo, 130 policiais federais cumprem 47 mandados, sendo 26 de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão. No Tocantins, as ações se concentram em Paraíso do Tocantins.

As invetigações começaram em 2016. Segundo a Polícia Federal, o grupo criminoso, que atuava na cidade tocantinense, adquiria a droga de um fornecedor no estado do Mato Grosso. Ele indicava contas bancárias de terceiros para receber os pagamentos de compradores.

A PF informou que os compradores de Paraíso também usavam a conta bancária de outras pessoas para pagar os fornecedores do Mato Grosso.

O objetivo era evitar o rastreamento do dinheiro e a vinculação dos fornecedores e compradores.

G1 MA