A coisa tá feia mesmo! Pai de família de SLP recorre à Prefeitura de Presidente Médici para poder encaminhar o filho doente à São Luís !

Waldiomar. Mais conhecido como “Maroto”

O
senhor ‘Zé Durval’, funcionário do Armazém Pinheirense, com quem
conversamos no dia de hoje (16), relatou ao nosso blog do grande
constrangimento que passou ao procurar o secretário de administração
para resolver a necessidade de encaminhamento do filho Waldiomar (27)
para São Luis.

Com uma contribuição em dinheiro conseguido em campanha social na Ráio
Tropical, documentação médica em mãos e as ordens do diretor do Hospital
Santa Luzia, Dr. Harolfran, o senhor ‘Zé Durval’ acabou obrigando-se,
até devido ao agravamento da saúde do filho, a procurar o secretário de
administração em sua residência na terça e quarta-feira, dias 11 e 12. 
Sentindo-se invadido em sua privacidade, segundo relatos do ‘Zé Durval’,
o secretário dificultou a disponibilidade da ambulância para o
atendimento solicitado e o ‘Zé’ se viu desrespeitado em seu direito como
cidadão!
Na ânsia para resolver o problema, o ‘Zé Durval’ relatou o caso ao
vereador Jó que de imediato solicitou uma ambulância da cidade vizinha
de Presidente Médici. Waldiomar passa bem e já está recebendo o
tratamento clínico desejado pela família. Segue vídeo com entrevista
cedida ao nosso blog pelo ‘Zé Durval’:
Luis magno

Minha Opinião Sobre O pedido de impeachment do Povo a Dilma!

Sabe o que eu acho sobre o pedido do “povo brasileiro” ao impeachment da presidente Dilma?
#Um absurdo,pois querendo ou não nós Brasileiros a maioria dos eleitores votaram nela!
e se queremos “democracia” vamos respeita lá pois a senhora presidenta foi sim eleita de forma democrática.
 E digo mais cada um de nós que votamos em Dilma temos que arca com as consequências de nosso voto!
E como já disse um senador “se Aécio ganha ele iria descascar um abacaxi que não fora ele que o fez”, iria pagar por um erro que não cometeu, pois antes mesmo da eleição, todos os inteligentes já sabiam que a economia Brasileira estava “maquiada”, e mesmo assim votaram agora quem votou está revoltado?
‘SE NÓS QUEREMOS DEMOCRACIA, VAMOS RESPEITÁ-LA!

 

A fome tá grande nos hospitais do Estado!

comida 2A denúncia é gravíssima e merece a máxima atenção do Ministério Público. O Blog do Luis Pablo foi informado que pacientes estão passando fome nos hospitais públicos do Estado.
A
empresa Litucera, uma quarteirizada do Instituto Cidadania e Natureza
(ICN), que é responsável pela alimentação dos hospitais, parou a
produção no período da tarde de hoje (13).
Centenas de pacientes
estão só com o almoço. Ninguém recebeu o lanche das 15h por conta da
paralisação. Só agora que a direção da empresa autorizou a retomada das
atividades.
O jantar que já era para ter sido servido, começou a
ser feito as 18h. Os pacientes deverão jantar só lá para as 20h. Um
verdadeiro absurdo.
Familiares de pacientes, que não têm condições de comprarem um alimento, estão desesperados.
O
motivo da paralisação da produção de alimentação dos hospitais, foi por
conta do atraso do repasse que o Governo Flávio Dino faz para o ICN.
A situação está caótica.
luis pablo

Cobrança de 200 milhões tem digitais de Fernando Sarney

Radar on-line/Veja – A
segunda instância do Tribunal de Justiça do Maranhão julga na próxima
terça-feira um recurso do Estado do Maranhão contra uma condenação a
pagar à empresa Remoel Engenharia uma dívida herdada da Companhia
Energética do Maranhão (Cemar), privatizada em 2000.

Dono do Sistema Mirante de Comunicação, irmão da ex-governadora Roseana Sarney.
Estima-se que a dívida possa chegar a
200 milhões de reais. A Remoel é controlada por amigos de Fernando
Sarney, que sempre negou ser o verdadeiro dono da empresa.
A propósito, diante da cobrança, Flávio
Dino apresentou ao Tribunal de Justiça do Maranhão uma ação direta de
inconstitucionalidade contra um artigo da lei que privatizou a companhia
elétrica. Diz o artigo que cabe ao estado assumir as dívidas da
companhia que resultem de sentenças de ações judiciais que tenham sido
distribuídas entre 31 de janeiro e 9 de maio de 2000, mas que só tenham
sido concluídas depois desse prazo.
Dino argumenta que o artigo é
inconstitucional porque não definiu o montante das obrigações assumidas,
o que seria impossível, já que a lei foi sancionada antes de a Justiça
decidir o valor a ser pago em cada uma delas.
Domingos costa
  • Blogs

  • Links Últeis

  • Contato

  • Facebook

  • Twitter