Prefeita Iracy Weba participa de reunião com vigilantes que atuam na segurança de órgãos públicos de Nova Olinda; evento definiu metas e melhorias

A prefeita de Nova Olinda do Maranhão, Iracy Weba se reuniu na tarde desta quinta-feira (14), com servidores públicos que atuam na vigilância de prédios e órgãos públicos municipais. Objetivando desenvolver uma gestão pautada no diálogo e na tomada de melhorias, a prefeita conduziu dialogando de forma participativa. 

Vale destacar a presença da secretária de Administração, Ely Linhares e da secretária de Educação, Maria Gorete que fizeram parte da reunião e expuseram suas visões aos que estavam presentes. Ao final, os que saiam da reunião, saiam com o semblante enaltecido pelo que foi tratado e pela certeza das melhorias que estão por vim.

Reformas de ruas beneficiarão milhares de moradores de Bom Jardim

A Prefeitura de Bom Jardim, através da Secretaria de Obras e Infraestrutura, iniciou as obras de recuperação das vias da cidade. Em parceria com o Governo do Estado, a prefeitura realiza a preparação da base que receberá o novo asfalto em diversas ruas. Nesta primeira etapa, as obras beneficiarão 13 ruas, de diversos bairros.
Trabalhos em boeiros e encanação também estão sendo realizadas em paralelo, para trazer um serviço de mais qualidade ao cidadão bonjardinense.
Na primeira etapa das obras, o asfaltamento chegará as seguintes localidades: Rua das Flores, Rua Nova, Rua 7 de Setembro, Santa Rosa, Travessa São Bernardo, Maranhão Sobrinho, Rua da Casa da Madeira, Rua Santa Cruz, Travessa Santa Cruz, Rua 15 de Novembro. Rua Santos Dumont e trechos da Rua São João.
Após a conclusão destas ruas, novos trechos receberão o asfalto. A estimativa, de acordo com o planejamento realizado com a equipe de engenharia do governo, é que cheguem a 30 ruas asfaltadas neste primeiro momento.

Operação conjunta resgata vinte trabalhadores em condições de escravidão no Maranhão

O MTE, MPT, PRF, MPF e DPU flagraram vinte pessoas trabalhando em condições degradantes no corte de palha de carnaúba em um povoado no município de Vargem Grande-MA. Eles foram levados para um hotel no Centro da cidade, tiveram seus direitos pagos e depois foram encaminhados para o Ceará, estado onde residem. Uma pessoa foi presa_
Um trabalho conjunto envolvendo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU) resultou no resgate de vinte trabalhadores em condições semelhantes à escravidão no município de Vargem Grande, situado no nordeste do estado do Maranhão. A ação aconteceu na quarta-feira, 13 de setembro, no povoado Alto Bonito, distante cerca de 30 quilômetros da cidade de Vargem Grande.
A maior parte dos trabalhadores resgatados vieram do estado do Ceará, do municipio de Granja e Martinópolis para o trabalho de corte da palha da carnaúba, palmeira muito presente no Ceará, Piauí e Maranhão. As condições deste tipo trabalho  geralmente são muito precárias, quase sempre com baixa remuneração, além de alojamento e alimentação em condições pouco dignas. As equipes encontraram os vinte homens em jornada de trabalho acima do permitido, alimentando-se de pequenos peixes, conhecidos como pititinga, arroz feijão, rapadura e farinha. De acordo com o cozinheiro do acampamento, almoço com carne era algo raro, sendo servido geralmente de dez em dez dias. A remuneração média recebida é de R$ 40,00 (quarenta reais) a diária. Todos eles trabalhavam para atravessadores, sendo difícil chegar às indústrias que recebem a palha da carnaúba, que em seguida é exportada para outros países.
As equipes da força tarefa levaram os trabalhadores para um hotel da cidade de Vargem Grande. Eles deverão seguir ainda nesta quinta-feira para as cidades de origem no Ceará.
As equipes estão investigando um homem, apontado como agenciador dos trabalhadores.
Mais oito trabalhares resgatados
Na tarde desta quinta-feira, a força tarefa seguiu para outra propriedade denunciada pelo mesmo motivo. As equipes encontraram mais catorze pessoas nas mesmas condições, sendo oito moradores da região e mais seis cearenses. Estes últimos, após o reconhecimento dos seus direitos trabalhistas, serão enviados de volta ao Ceará.
Palmeira nobre
A carnaúba é considerada uma palmeira nobre, bem presente no estado do Ceará, Piauí e Maranhão. A cera produzida à partir da palha seca da palmeira é exportada para países como Estados Unidos e China, e usada na produção de chips, cabos e outros componentes para celulares e computadores. Em outros tempos a cera era utilizada na produção de disco vinil e cera para polimento em pisos e veículos. As palhas são usadas na cobertura de casas e o tronco na sustentação de moradias e na contrução de pequenas pontes.


Fonte: PRF

BACABEIRA MA! Prefeita Fernanda Gonçalo “se esconde” para não pagar salários em atraso de servidora do município!

Hilton Gonçalo e Fernanda

A funcionária comissionada, Jessica dos Santos Ferreira, que trabalha na Prefeitura de Bacabeira (MA), com o intuito de expor sua situação,fez um relato ao Blog, ela fala de sua situação e de vários servidores que estão enfrentando a falta de pagamento tanto em Bacabeira como Santa Rita, estas governadas por Dr. Hilton Gonçalo e sua esposa Fernanda Gonçalo.
Jessica relata a um Blog da cidade que ao chegar na prefeitura municipal afim de que sua situação fosse resolvida uma pessoa da prefeitura chamou a Polícia, sendo que a funcionária estava totalmente calma e apenas cobrando o acordo desfeito pela prefeita Fernanda Gonçalo, o caso esta sendo de grande repercussão no município a comoção em prol da mulher é grande, o que e mais grave que segundo ela informou ao Blog do Rony Cardoso, a prefeita e seus comandados usam de influencia politica contra as pessoas que reivindicam seus direitos no município, o Blog obteve documentos que provam a existência de uma luta da “servidora” para receber seus proventos que a prefeita se nega a pagar, o que chama atenção e que com tantas mazelas nos municípios administrados pela família Gonçalo, Hilton ainda sonha em concorrer uma vaga no senado, já esta inclusive fazendo pré campanha pelo estado e como diz a mídia aliada do prefeito “ouvindo os anseios dos municípios.”
Segundo a funcionaria a prefeita prometeu  assinar sua exoneração e pagar o que lê é devido até sexta feira(15) mais devido tantas promessas não cumpridas o descredito é grande.
Complicado viu…
veja os documentos que provam a “luta” da senhora para que Fernanda Gonçalo pague seus proventos em atraso:

AGORA VEJA O VÍDEO:

Moradores de bairros de Presidente Médici estão sofrendo sem águas nas torneiras, por incompetência da Prefeitura Municipal

Nos últimos dias, dezenas de moradores de pelo menos 03 bairros de Presidente Médici entraram em contato com a nossa redação, relatando a problemática da falta de água na cidade. Quem possui um poço artesiano em casa agradece pelo bem e com solidariedade oferta ajuda para outros moradores. De acordo com as denúncias, a responsabilidade pelo abastecimento desses bairros não é de uma companhia e sim da própria prefeitura que por incompetência gestacional segue lesando vários moradores da cidade sem realizar ações afim de sanar a problemática.

“Por que o Governador não tirou os mais de R$ 60 milhões da propaganda ao invés de retirar dos aposentados do Maranhão?”, questiona deputado Wellington

Durante audiência pública que aconteceu na tarde desta quarta-feira (13), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) debateu pontos importantes como repasses das contribuições e controle dos regimes próprios dos servidores públicos do Maranhão. A discussão aconteceu na sede da Seccional da OAB/MA.
Ao traçar alguns pontos em defesa dos servidores públicos, o deputado Wellington questionou ato do Governador do Maranhão de remanejar mais de R$ 60 milhões do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa) para a Secretaria de Estado de Infraestrutura.
“É questionável a autonomia do Governador para dispor do futuro dos servidores estaduais. Ele está retirando do fundo de pensão e aposentadoria dos servidores públicos os recursos para a Infraestrutura. Por que o Governador não tirou os mais de R$ 60 milhões da Secretaria de Comunicação e Propaganda ao invés de retirar dos aposentados do Maranhão? Por que retirar justo de um Fundo tão importante para os servidores públicos do Maranhão? Estamos vigilantes e continuaremos em defesa dos servidores públicos do nosso estado. E no dia 19 de setembro teremos uma audiência na Assembleia Legislativa para tratar da previdência dos servidores públicos do Maranhao”, destacou o professor e deputado Wellington.
Estiveram presentes também Tiago Diaz, presidente da OABMA; Sérgio Roberto Cutrim, representando a Receita Federal; Nereida Batalha, procuradora estadual de defesa das Prerrogativas da OAB; Márcio Rocha Gomes, representando o Tribunal de Contas do Estado; o juiz Douglas de Melo Martins, representando a Vara de Direitos Difusos e Coletivos; Márcio Tadeu Silva, representando o Procurador Geral de Justiça; o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e ainda outros representantes de comissões da OAB, sindicatos, trabalhadores, aposentados e sociedade civil.

Apertem o cintos, prefeitos! FPM vem com queda

A Secretaria do Tesouro Nacional divulgou nesta terça-feira, 12, as previsões de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para os meses de outubro e novembro.Além deles, também há previsões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para os próximos repasses de setembro. Os números indicam diminuição de recursos para as prefeituras, em comparação com os mesmos repasses de 2016.

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte –FEMURN já orienta os gestores municipais atenção redobrada com os recursos municipais, devido à queda dos 

Lula depõe por 2 horas e, ao final, pergunta se terá um juiz imparcial; Moro diz que sim

  • Lula durante chegada ao prédio da Justiça Federal, onde prestou depoimento

    Lula durante chegada ao prédio da Justiça Federal, onde prestou depoimento
Com duas horas e dez minutos de duração, o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegou ao fim às 16h26 desta quarta-feira (13). Foi o segundo encontro presencial entre o petista e o juiz federal Sergio Moro, que comanda os processos da Operação Lava Jato na primeira instância –a primeira audiência, em 10 de maio, levou quase cinco horas.


Ao final de seu depoimento, o ex-presidente perguntou a Moro se “seria julgado por um juiz imparcial”. Em resposta, Moro disse que sim, segundo apurou o UOL com pessoas que acompanharam a audiência na 13ª Vara Federal de Curitiba.


Lula também falou sobre Palocci –“Eu não tenho raiva do Palocci. Eu tenho pena dele”—e, em determinado momento, houve uma discussão porque se referiu como “querida” à procuradora da República Isabela Groba Vieira, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. Segundo a Justiça Federal, Lula não respondeu algumas das perguntas que lhe foram feitas.
Lula respondeu pelas suspeitas de participar de um esquema de corrupção envolvendo oito contratos entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras. inda não se sabe o conteúdo do depoimento, que só será divulgado quando a Justiça Federal publicar o termo de audiência, uma ata com os presentes no local e determinações de Moro. O termo só é feito quando encerrada a audiência, que só acabará após o depoimento de Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci, também réu no processo.
As audiências não têm limite de tempo, mas, neste processo, duraram no máximo seis horas. No primeiro dia de interrogatórios, Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, e Paulo Melo, ex-diretor da empreiteira, falaram por cerca de seis horas, no total, no dia 4 de setembro. Marcelo foi interrogado por cerca de três horas e meia e Melo, por pouco mais de uma hora. O interrogatório de Demerval Gusmão, dono da DAG Construtora, durou quase duas horas em 6 de setembro.

Chegada com apoio de manifestantes

Lula chegou às 13h50 ao prédio da Justiça Federal em Curitiba, passando de carro em um corredor formado por militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) que o esperavam desde as 10h30. Ele desceu do automóvel, onde encontrou lideranças do PT como a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional da sigla, e caminhou poucos metros segurando uma bandeira do Brasil. Ao som de “Lula, guerreiro do povo brasileiro”, “fora, Temer” e batucadas, o ex-presidente interagiu com militantes. Depois, seguiu de carro à sede da Justiça Federal, onde a audiência marcada para 14h teve início às 14h16.
Moro chegou ao local por volta das 10h, em uma caminhonete escoltada por seguranças da Justiça Federal. O entorno do prédio, com forte esquema de segurança que incluiu um helicóptero, foi bloqueado pela polícia às 9h20. A previsão era de que o bloqueio começasse às 6h30, mas a Secretaria de Segurança Pública do Paraná avaliou que o clima será mais tranquilo do que em maio.
Além de Lula e Moro, estavam na sala de audiências 2 os procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato, advogados da Petrobras, que exercem o papel de assistentes de acusação, defensores de Lula e dos outros sete réus, além de uma servidora pública que atua como assistente de audiência.
Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo

Chegada de Lula (ao centro) à sede da Justiça Federal, para segunda audiência com o juiz Sergio Moro

Um representante da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) também está na sala para “garantir as prerrogativas dos advogados que atuam no caso”, disse a instituição em nota ao UOL. O conteúdo do depoimento, que está sendo gravado em vídeo, só será divulgado pela Justiça Federal depois do seu término.

O processo

A ação penal desta quarta trata de um suposto esquema de corrupção envolvendo oito contratos, firmados de 2004 a 2012, entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras.
Com desvios que chegaram a R$ 75,4 milhões, segundo denúncia do MPF, Lula teria sido beneficiado com a compra de um terreno em São Paulo que seria sede do Instituto Lula e com a aquisição do apartamento vizinho ao em que ele vive, em São Bernardo do Campo (SP). Lula é acusado ter cometido o crime de corrupção passiva por nove vezes, e o de lavagem de ativos por 94.
Além de Lula, também são réus neste processo:
  • Roberto Teixeira, advogado de Lula
  • Antonio Palocci, ex-ministro dos governos de Lula e de Dilma
  • Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci
  • Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht
  • Paulo Melo, ex-diretor da Odebrecht
  • Demerval Gusmão, proprietário da DAG Construtora
  • Glaucos da Costamarques, empresário
Teixeira será o último réu interrogado. Ele deveria ter sido ouvido em Curitiba na semana passada, em 6 de setembro. Porém, na noite do dia anterior, ele foi internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
Diagnosticado com insuficiência cardíaca aguda, o advogado teve alta na sexta-feira passada (8) e passou a repousar em casa por ordens médicas. Na última segunda-feira (11), atendendo pedido da defesa, Moro remarcou o interrogatório de Teixeira, que deveria ser nesta quarta, para as 13h30 de 20 de setembro.
Reprodução

Em 10 de maio, Lula teve Roberto Teixeira (terceiro no alto, da esquerda para a direita), réu neste processo, entre seus defensores

Passado e futuro

No primeiro interrogatório, Lula prestou esclarecimentos a respeito da acusação de que estaria envolvido no esquema de corrupção envolvendo três contratos entre a empreiteira OAS e a Petrobras. Com quase cinco horas, foi um dos mais longos da Lava Jato.
Moro decidiu sentenciá-lo a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele concluiu que Lula “tinha um papel relevante no esquema criminoso que vitimou a Petrobras e que envolvia ajustes fraudulentos de licitação e o pagamento de vantagem indevida a agentes da empresa, a agentes políticos e a partidos políticos”.
O petista recorre em liberdade da decisão no TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª região, a segunda instância da Lava Jato.
Lula e Moro ainda terão um novo encontro previsto para o primeiro semestre do ano que vem. Em agosto, o juiz tornou o ex-presidente réu pela terceira vez na Lava Jato, agora em um processo sobre um esquema de corrupção envolvendo um sítio em Atibaia (SP), que seria uma vantagem indevida paga a Lula.
A defesa do petista nega as acusações em todos os processos e diz que há uma perseguição política contra Lula.
portal UOL

Yglésio Moyses deixa o PT…

Primeiro suplente de deputado estadual pela legenda, o militante comunicou sua desfiliação, na última segunda-feira, 4, ao Tribunal Regional Eleitoral.
– O cenário lá é imprevisível e eles brigam muito. Quero paz – justificou o médico, ao blog, na manhã desta quarta-feira, 13.

O pedido de desfiliação ao PT
Desde que resolveu entrar na vida político-partidária, em 2012, Yglésio teve intensa movimentação, sobretudo na internet.
Ficou na primeira suplência de vereador, e, em 2013, assumiu o comando do Socorrão I, na primeira gestão de Edivaldo Júnior (PDT)., agitando as redes sociais com campanhas de doação, até ser demitido, cerca de seis meses depois.
Em 2014 foi candidato a deputado estadual, ficando na primeira suplência.
Em 2016 reaproximou-se de Edivaldo e fez campanha ativa na internet; após a eleição, articulou, com outros petistas, uma tentativa de ocupação de espaços, tanto na gestão de Holandinha quanto no governo Flávio Dino (PCdoB).
Blog do Marco Aurélio D’Eça

ABSURDO!Clientes denunciam preços abusivos em shows da 4Mãos em Barreirinhas

A produtora de eventos 4Mãos tem sido alvo de críticas por contas do preços abusivos cobrados em seus shows. As últimas foram feitas durante o projeto Lençóis Weekend, mas especificamente no show de Bell Marques, realizado em Barreirinhas durante o feriado da Independência.
Por meio de áudios e vídeos, consumidores reclamaram da falta de organização e comunicação, dos preços de bebidas altíssimos, da cobrança de copos e mesas, entre outras coisas.

“O que eu to querendo relatar é o seguinte: é a falta de respeito desse grupo 4Mãos, que organiza esses shows em São Luís, no Maranhão, de forma geral. Agora, eles chegaram ao ponto de cobrar R$ 1,10 por um copo de papelão que em duas ou três doses simplesmente se dissolve em suas mãos. Já não bastava se pagar um valor absurdo R$ 150,00 para ir para um falso camarote e pagar um valor de R$ 380 por uma garrafa de Wísk, que custa R$ 140,00 em qualquer supermercado de São Luís, ai agora estão começando a cobrar R$ 1,10 pelo copo. Acho que tempo que dar um basta nesse tipo de abuso”, reclamou um consumidor.
  • Blogs

  • Links Últeis

  • Contato

  • Facebook

  • Twitter