VÍDEO! Homem que após assalto a agência de Zé Doca disse que “era para ter morrido 10 policiais” muda “discurso” na delegacia…

Um Homem preso na manha de hoje(04) em Zé Doca sobre a acusação de fazer apologia ao crime, relembre AQUI

Ao chegar na delegacia mudou o tom do discurso e disse que falou aquilo porque estava com vergonha, veja o vídeo:

Quadrilha armada com fuzis e metralhadoras roubam todo o dinheiro da agência do Banco do Brasil de Zé Doca

A Madrugada em Zé Doca foi de total terror, por volta das 2h da madrugada  bandidos fortemente armados cercaram o quartel da Policia Militar e trocam rajadas de tiros com a PM, enquanto outro bando assaltava a agência  do Banco do Brasil da cidade.

A quantidade tiros foram intensas nas ruas, impedindo pessoas e veículos trafegarem. Lojas e supermercados também foram atingidos.
Às 02:45 após explodiram a agência do banco do Brasil, as informações dão conta que os criminosos fugiram em direção a cidade de Araguanã  em três veículos, uma Hilux, uma Estrada e outro carro não identificado.

Esta é a segunda vez que a agência é explodida por criminosos. Até o momento não se sabe a quantidade que foi levado do banco e nem o rumo certo dos bandidos, a Polícia trabalha para que tudo seja solucionado rapidamente. Breve mais informações deste caso.

Homem mata ex-companheira e depois se suicida em Maracaçumé

A ocorrência foi registrada na tarde deste domingo (24), em Maracaçumé. De acordo com informações preliminares, o homem identificado como Bruno saiu da cidade de Governador Nunes Freire e se deslocou até a cidade de Maracaçumé para solicitar a guarda temporária da filha, ao chegar a residencia onde reside a ex-esposa, ambos teriam iniciado uma discussão, o homem que estaria armado e se encontrava passando por problemas psicológicos fez uso da arma e desferiu vários tiros na cabeça da ex-esposa na frente da filha, e logo em seguida não sabendo lidar com a situação tirou a própria vida.

Assassinato de músico completa duas semanas e a Polícia Civil segue sem prender o autor do crime

 

O assassinato do músico e empresário José de Jesus, conhecido como JJ, de 31 anos, completou duas semanas nesta sexta-feira (22) e o principal suspeito do crime, identificado como Fernando Viegas ainda não foi preso.

A Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), até o momento, não deu qualquer resposta aos familiares e amigos da vítima, que seguem revoltados com a lentidão e descaso da Polícia Civil em relação ao caso.

A prisão de Fernandinho  já foi decretada pela Justiça, as câmeras de segurança e relatos de testemunhas confirmaram a autoria do assassinato, e a SHPP insiste em tratar o crime com desprezo. Um absurdo!

Entenda o caso

O músico JJ, que era sócio da banda Lorena Prazeres, foi alvejado por três tiros, no último sábado (9), em um posto de combustível, no Alto do Calhau, em São Luís. José de Jesus chegou a ser levado para a UPA do Araçagi, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

As imagens das câmeras de segurança do posto de combustível e relatos de testemunhas ajudaram a polícia a identificar Fernando Veiga como autor do crime.

O principal suspeito do assassinato é morador da Cohab e tem várias passagens pela polícia por porte ilegal de arma, ameaça, posse de drogas e violência doméstica.