No improviso, alunos estudam em paróquia de igreja em São Luís

Cerca de mil estudantes do 1º ao 9º ano da Unidade de Ensino Básico Mata Roma, em São Luís, estão sofrendo para conseguir ter aulas este ano. Após um semestre inteiro sem aulas, apenas um grupo voltou a estudar graças à caridade de uma igreja, que cedeu o salão paroquial para acolher os alunos.

O local onde fica a escola está fechado desde o começo do ano para reformas que nunca aconteceram. O casarão abandonado onde ficava a escola está com paredes em ruínas, sujas, caixa d’água desativada, encanação quebrada e com teto desabando na quadra de esportes. O improviso está sendo reprovado por pais e alunos.

“Não tem o quadro, que é no chão”, disse o pai de aluno Jorge Henrique Costa.

A pedagoga Gleise Sales é pedagoga, especialista em formação de docentes e educação para jovens e adultos. Ela fez um alerta. Segundo especialistas, ficar seis meses longe da escola significa perder 400 horas de aula, o que significa uma perda para a vida toda.

“Dentro das escolas existe uma rotina, igual a vida da gente. O professor se planeja para cada dia de aula, para cada conteúdo curricular. A criança fora da escola, perdendo esse momento, ele perde autoestima, vontade de aprender e desacredita que realmente a educação vai mudar a vida dele”.

Segundo avaliação do Ministério da Educação no ensino das escolas municipais de São Luís, em 2017 o município tinha que atingir a meta de 5.2 do 1º ao 5º ano, mas a nota foi 4.6. Do 6º ao 9º ano a meta era 4.3, mas a nota alcançada foi 3.8. Nessa faixa do ensino a nota recuou 0.1 ponto em relação a avaliação anterior.

“Quando estamos falando do desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem nós estamos falando do nosso trabalho. Só que a sociedade precisa entender que dentro desse processo educacional nós não temos a responsabilidade pelo financiamento. Quem tem a responsabilidade de administrar os recursos financeiros da educação é a Prefeitura de São Luís. O que cabe a nós é desenvolver, dentro da precariedade das dificuldades, desenvolver o melhor que nós podemos’”, declarou a presidente do Sindicato dos Professores do Município de São Luís, Elisabeth Castelo Branco.

A Secretaria de Educação de São Luís disse que os alunos da U.E.B. Mata Roma estão provisoriamente no prédio da igreja para garantir o cumprimento dos 200 dias letivos. Disse ainda que, além de melhoria na estrutura da escola, a reforma vai climatizar as salas de aulas. Mas a secretaria não deu um prazo para a conclusão da obra.

Deixe uma resposta