Colinas:Acusado de assassinato é absolvido em júri popular

Resultado de imagem para juri popular
O juiz Sílvio Nascimento presidiu uma sessão do Tribunal do Júri em Colinas nesta terça-feira, dia 12. O réu foi Antônio Francisco Ferreira da Silva, que estava sendo acusado de ter matado Paulo Morais Evangelista, fato ocorrido em maio deste ano. Ao final, Antônio Francisco foi absolvido pelo conselho de sentença. O julgamento ocorreu no Salão do Júri do Fórum de Colinas e o acusado foi absolvido por maioria.
Relata a denúncia que, na data citada, a vítima Paulo Morais foi encontrada morta às margens do Rio Itapecuru após ter ingerido bebida alcoólica ao lado de Antônio Francisco. O inquérito destaca que todas as evidências apontavam o réu como sendo o autor do crime, haja vista que ele, momentos antes do corpo da vítima ser encontrado, teria dito a algumas pessoas que “teria feito uma besteira e que Paulo estaria morto”.
A promotoria de Justiça relatou que, quando se afogava, a vítima apresentava sinal de embriaguez e teve ainda um ataque de epilepsia, momento em que teria sido golpeada pelo acusado. A acusação se baseou ainda em depoimento testemunhais, inclusive da mãe da própria vítima. O réu estava sendo acusado de homicídio qualificado, com impossibilidade de defesa por parte da vítima.
Já na fase de apresentação de quesitos ao Conselho de Sentença, o primeiro item teve como pergunta: “no dia 06 de maio de 2017, no banho conhecido por Bambu, às margem do Rio Itapecuru, nesta cidade, a vítima Paulo Eduardo Morais Evangelista foi assassinada, conforme escrito no exame cadavérico?” Por quatro votos, a maioria do corpo de jurados disse que ‘não’.
Integraram a sessão, além do juiz Sílvio Nascimento, o promotor de Justiça Aarão Carlos Lima Castro, que trabalhou na acusação, e os advogados Rômulo Silva de Melo e Raimundo Nonato Pereira de Aquino Júnior, que atuaram na defesa de Antônio Francisco.

Deixe uma resposta